sábado, 4 de fevereiro de 2012

Comprei no leilão e o documento não chegou ainda. O que fazer?

Prezados leitores,

Antes de tudo eu gostaria de agradecer pela grande quantidade de comentários e visitas neste BLOG, que é nosso BLOG. Uma comunidade para ajudar a esclarecer a todos sobre o funcionamento de leilões que é tão pouco divulgado. Deixo claro que minha intenção não é favorecer ou prejudicar alguém ou alguma empresa, mas sim compartilhar experiências de anos de trabalho no ramo.

Procedimentos para serem adotados quando seu documento não chegar.

Em postagens anteriores eu expliquei sobre o funcionamento dos leilões, seus riscos, vantagens, cuidados, melhores opções de compra. Falei também sobre sinistro, revenda de carros de leilão, além de mencionar sobre alguns leiloeiros, entre outras coisas.

Os baixos preços dos leilões atraem muitas pessoas à compra, mas estes preços não são baixos por acaso. Existem os riscos, e um destes riscos é o atraso na entrega da documentação, que não equivale a 1%, mas quando isto acontecer você precisará de algumas informações a respeito.

Os principais motivos para que ocorra o atraso da documentação são:


GRAVAME:

É a alienação do veículo em um sistema de proteção dos bancos e das financeiras. É o chamado SNG (sistema nacional de gravame). Quando alguém compra um veículo financiado, é lançado um gravame que impede a transferência do veículo para outro proprietário. 
Para transferir e preciso baixar o gravame. Se o gravame for de outro banco, o comitente vendedor em leilão dependerá do outro banco para efetuar a baixa. 

RENAINF :
É um sistema coordenado pelo Departamento Nacional de Trânsito- DENATRAN que registra as infrações à legislação de trânsito cometidas em unidade federada diversa daquela onde o veículo estiver registrado e licenciado, bem como, permite o registro das infrações impostas pela Polícia Rodoviária Federal-PRF e o DNIT - Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes, independente da vinculação de registro do veículo.  Esse sistema possibilita que o órgão autuador tenha os dados necessários para notificar o infrator sobre a infração cometida e sobre a respectiva penalidade, bem como vincular os débitos existentes no DETRAN de registro do veículo.
Se o débito não estiver disponível no DETRAN da UF do veículo, não é possível efetuar o pagamento. Mas também não é possível transferi-lo, causando o atraso na emissão do documento.


Nestes dois casos, tanto o leiloeiro quanto o banco ficam com as mão atadas dependendo de terceiros.

Após o vencimento do prazo da entrega da documentação, você deve ligar pelo menos 2x por semana no escritório do leiloeiro para se informar de quais medidas estão sendo adotadas para regularização da situação.
Caso atrase mais de 30 dias, solicite imediatamente a recompra do veículo.


RECOMPRA:

Na recompra são devolvidos todos os gastos que você teve com o veículo, valor, comissão, despesa adm. e benfeitorias. As benfeitorias são reparos/consertos que você realizou agregando valor ao veículo após a retirada do pátio. Mas para o ressarcimento destes valores acontecer, é preciso ter todas a notas em mãos, além de uma nova vistoria que é realizada no pátio comparando o estado de saída do veículo quando do leilão com as condições na devolução.

O processo de recompra é o mais utilizado atualmente, porém em alguns casos o comitente pode se recusar a efetuar a recompra. Neste caso você deve entrar com um processo judicial no tribunal de pequenas causas, contra o comitente vendedor, pedindo este ressarcimento. Além de algum eventual valor referente a perdas e danos, se houver.


Na próxima postagem falaremos mais um poucos de outras situações que podem ocorrer o atraso da documentação e como proceder.

Espero ter ajudado,
Abraços e boa sorte!