segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Veículo de Leilão - Restrição ou Especulação?

Cada vez mais surgem comentários de pessoas que compraram carros usados e depois de um tempo ficam sabendo que era de leilão. Tá, mas e daí?

Atualmente no Brasil existem centenas de milhares de veículos parados em pátios particulares e públicos e que na sua maioria representa compromissos de financiamento não honrados. As outras partes são recuperados de roubo e furto, colisão e apreendidos por não estar de acordo com as leis de trânsito vigentes no país.

Este número aumenta a cada dia e é preciso fazer a máquina girar. Existem departamentos nas financeiras exclusivamente para fazer isto.

Estes bens são vendidos para amortizar a dívida de financiamento e indenizações de seguradoras.

Até aí sem novidades. Acontece que de uns tempos para cá vem se popularizando uma "pseudo restrição" que é o apontamento que o veículo já passou por algum leilão.

Usuários questionam que compraram um carro e o vendedor não informou que o carro teve origem de leilão. Fiquem sabendo que a maioria do estoque nas lojas de carros usados tem origem de leilão. A outra parte são veículos adquiridos como parte de pagamento de outro veículo.

Obviamente que quem está vendendo não vai informar, porque não se trata de uma restrição e apenas de mais uma modalidade de venda.

Empresas cobram para fornecer esta informação como se fosse um segredo mortal a ser revelado, quando não passa, mais uma vez repito, de mais uma modalidade de venda.

Os veículos recuperados de financiamento comprados em leilão não apresentam nenhuma característica que venha a desaboná-lo. Claro que não me refiro à SINISTROS.


Um forte abraço!